Arrumar as malas

arrumar as malas
Arrumar as malas: leve somente o necessário

Arrumar as malas para viajar faz com que escolhamos nossas melhores roupas, fazemos as melhoras combinações, pensamos nas inúmeras possibilidades de passeio e oportunidades. Além disso, nos faz ser objetivos em nossa decisão. Precisamos pegar aquilo que será utilizado, aquilo que realmente importa. Mas será que estamos preparados para separar o que é importante para nós?

O processo de arrumar as malas está presente em nossas vidas desde o nascimento quando nossos pais antes de ir para a maternidade pegaram tudo (e até um pouco mais) e levaram consigo para receber o filho recém-nascido. A preocupação é grande, não se sabe ao certo o que pode ser utilizado, o que é importante e o que não é. Apenas se fez a mala contando que tudo ali seja suficiente.

Conforme os anos vão se passando, acumulamos coisas ao longo do caminho e vamos guardando em nossa mala. Em um determinado ponto o peso pode ficar insuportável, ficamos muitas vezes esperando que alguém possa nos ajudar a dividir esse fardo. Contar com esse auxílio é difícil pois, nesse ponto todas as outras pessoas tem a sua própria mala para carregar.

Se a mala fica muito pesada temos duas alternativas. Podemos pagar o preço pelo excesso de peso e ficamos com tudo o que queremos ou, podemos manter somente aquilo que de fato é importante. Mas como decidir entre tantas coisas importantes na vida? Arrumar as malas dá trabalho. É preciso dedicar um tempo para isso.

Uma alternativa é viajar de mochila, só tem vantagens. Não se paga por excesso de peso, se ficar muito pesada nem dá para carregar, cabe em qualquer lugar (do lado do sofá ao canto de um quarto), se houver extravio o dano é menor (afinal não tem tudo de importante mesmo), é fácil de arrumar e muito útil para passeios curtos. Quando somos pequenos, nossa mala é pequena. À medida que crescemos a quantidade de coisas que nos interessam e nos prendem vão aumentando. Cabe a nós decidir o que colocar e o que pode ser deixado de lado =)

Autor: Rodrigo Azevedo da Costa

Convide-me para um café!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s