Mudança

Mudança é um processo frequente em nossas vidas, pelo menos deveria ser. Apesar de que em certos momentos ela parece ficar estagnada e simplesmente não apresentar nenhum sinal de alteração ou, modificação minima que seja em nosso cotidiano. Faça um esforço e tente lembrar de você na adolescência ou, há uns 10 anos, das palavras ditas que talvez hoje, não diria mais, dos desentendimentos decorrentes de momentos de estresse e, dos desejos deixados de lado.

Certamente, algo mudou em você do passado até hoje. Fazendo esse jogo mental conseguimos visualizar o quanto nós mudamos e o quanto, ao mesmo tempo, permanecemos os mesmos, mas em uma versão melhorada (se não está em sua melhor versão, reveja seus conceitos). Afinal, temos mais experiência, novas percepções sobre as coisas, aprendemos a lidar com situações desagradáveis, entre outras características e ensinamentos que começam a fazer parte de nós enquanto pessoas.

Toda mudança é resultado de um processo iniciado a partir de um gatilho que então abre um leque de possibilidades – desconhecidas – para quem sofre a mudança. Quanto antes entendermos que mudar faz parte da nossa essência enquanto ser humano, mais estaremos aptos a evoluir em todos os sentidos. Adaptações são necessárias para que possamos superar dificuldades e, alcançar novos objetivos. É aquela velha história, não dá pra esperar resultados diferentes fazendo as mesmas coisas.

A única coisa que não muda é que tudo muda…

heráclito

Tudo ao nosso redor está em movimento a todo instante, é um ciclo de transformações. Nas palavras de Lavoisier (1743-1794), famoso químico francês e considerado pai da química moderna, “Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”, ou seja, tudo muda. Os filhos crescem cada vez mais rápido, o trabalho ocupa cada vez mais o nosso tempo e de diferentes maneiras, buscamos continuamente satisfação pessoal quando na verdade não temos sequer um objetivo claro e bem definido, conhecemos pessoas e nos despedimos de outras.

Mudar exige um planejamento adequado para que o novo seja encarado em condições suficientes de adaptação. A falta de um planejamento, porém, não indica fracasso nesse processo mas, é importante que a pessoa esteja preparada quando a mudança ocorre de maneira inesperada. Devemos nos dispor a encarar o novo, estarmos abertos a novas possibilidades e, caso necessário, ajustar o plano para chegar ao destino. Não é porque o barco saiu do porto com uma rota traçada que não se possa aventurar pelo caminho.

Autor: Rodrigo Azevedo da Costa

Convide-me para um café!

2 pensamentos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s