Pressa

Pressa, pressa, pressa… Definitivamente, vivemos em um mundo onde a necessidade para tudo parece ser para ontem. Estamos ficando cada vez mais ansiosos por resultados, realizações e conquistas pessoais, subir de degrau na vida, desejos que nem sabemos ao certo se queremos realizar mas, o imediatismo, a exposição exacerbada da vida e, a possibilidade infinita de opções nos traz a falsa sensação que precisamos fazer, mas nem sempre é verdade.

A pressa, muitas vezes, pode tirar a beleza do momento.

Uma frase que eu acho muito legal é: “Não compare os seus bastidores com o palco de outra pessoa”. Quem olha de fora, desconhece todo o processo pelo qual alguém passou para chegar onde está agora. E o que de fato importa não é o resultado em si, mas o processo feito para alcançá-lo. Uma vez que tudo é feito como se deve, os resultados tendem a aparecer naturalmente, como consequência de todo esforço empregado.

Ai que mora o problema… Estamos em um ritmo onde tudo muda a todo instante. em todos os aspectos. Passamos por diversas mudanças: climáticas, políticas, econômicas, sociais e individuais. O processo para criação e usufruto de algo está sendo substituído por momentos líquidos e sem pertencimento a algo mais profundo. Por exemplo, antigamente, nossos pais trabalhavam durante a vida toda para usufruir de uma aposentadoria e aproveitar a “melhor idade”, hoje, queremos aproveitar ao máximo o agora sem importar tanto com o futuro.

Não é uma comparação sobre qual atitude é melhor, afinal, são outros tempos…

Para se formar um bebê demora nove longos meses e, depois desse tempo, ainda tem todo um trabalho de acompanhamento, cuidados e, educação para que ele tenha condições de se tornar uma boa pessoa – não existe garantia de nada. Coisas boas levam tempo para acontecer porque precisam justamente de tempo para amadurecer, criar raízes, vínculos fortes o suficiente para garantir proteção, reconhecimento do ambiente e internalizar ideias para que deixem de ser vontade e passem a fazer parte de um propósito.

A vida não é uma corrida de 100 metros onde precisamos empregar todas as nossas forças para chegar mais rápido até o pódio. E, dificilmente, o vencedor consegue correr logo em seguida. A vida está mais para uma maratona e, assim como Fidípedes que morreu após concluir a distância do campo de batalha de Maratona até a cidade de Atenas para informar sobre a vitória contra os persas, todos nós iremos… Essa corrida porém, é a única coisa na qual ninguém tem pressa em realizar.

Não tenhamos pressa, mas não percamos tempo

josé saramago

Autor: Rodrigo Azevedo da Costa

Convide-me para um café!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s