Desistir é uma opção

Desistir é uma palavra forte. Muitas pessoas não aceitam nem que possa fazer parte do seu vocabulário, dia a dia, dicionário, seja lá o que for. Acredito que isso aconteça devido à criação que temos durante toda nossa vida, da necessidade de sempre vencer, buscar nos esforçar para sermos “alguém”, termos sucesso a todo custo, excesso de rivalidade que às vezes nem sabemos contra quem estamos competindo, simplesmente vamos à luta e, alguns, ficam perdidos, sentindo-se sós, presos em sonhos e vontades que não são seus.

Mesmo se desistir é preciso continuar!

Tome como exemplo uma viagem, todo mundo diz que: “Viajar é bom, mas voltar pra casa é melhor”. Claro que não tem comparação uma desistência a um retorno de viagem, mas a ideia que quero passar é a de que regressar é bom. Desistir de uma atividade, trabalho, rotina, ou mesmo um projeto de vida, pode ser um regresso que a gente nem sabia que precisava, começar do zero nem sempre é do zero mesmo, a gente sempre carrega um pouco de experiências, aprendizados que nos tornam mais sábios (espera-se) do que antes.

A vida é uma só pra gente se limitar, em qualquer aspecto. Precisamos experimentar coisas novas para descobrir do que somos feitos de verdade, a que grupo pertencemos, quem queremos ter ao nosso lado, o que queremos realizar. Tudo isso requer que a gente desista de alguma coisa, e tudo bem. E falando de verdade… Ninguém liga quando você tem sucesso, ou alcança algo que almeja, mas se você falhar muitos aparecerão para julgar.

Cada um sabe o esforço que tem que fazer para se permitir começar de novo, existem custos envolvidos, sentimentos e relações que precisam ser considerados, e se desvencilhar desses laços é difícil. Como diz na música: “Cada escolha, uma renúncia”. Não precisamos ter tudo, mas sim saber desfrutar o melhor do que nós temos para enxergar o que queremos alcançar, no meio disso, teremos que desistir de alguns objetivos para realizar outros, e tudo bem!

Desistir de tudo às vezes é um caminho para um novo recomeçar…

Desistir é um suspiro profundo que nos permite recomeçar, tomar um fôlego para uma reflexão e nos mostrar onde erramos e o que podemos fazer para melhorar. A partir daí, cabe a cada um, decidir o que fazer com essa oportunidade. A vida não é uma linha reta de sucesso e prosperidade, cercada de flores. Tá mais pra uma esteira gigante que reveza a velocidade entre rápido e devagar, com diferentes obstáculos que se não nos derrubarem, nos ensinam, e se quisermos flores, teremos que plantar!

Autor: Rodrigo Azevedo da Costa

Convide-me para um café!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s